segunda-feira, 29 de maio de 2017

QUO VADIS? .....Coxinhas?


A atriz Renata Sorrah postou em seu Twitter uma mensagem aos chamados "coxinhas", aqueles que defenderam cegamente o golpe contra a presidente deposta Dilma Rousseff e embarcaram no movimento liderado pelo senador Aécio Neves; "Você é o próprio bichinho de estimação do bandido. Votou no Aécio, foi pras ruas protestar contra a derrota que sofreu, balançou o rabinho para a aliança dele com Cunha e Temer, fez dancinha pedindo o impeachment da Dilma, rosnou nas redes sociais. E agora, quando a casa caiu, se finge de morto. Bem adestrado", disse Sorrah; a voz da atriz surge no momento em que artistas e apresentadores, como Luciano Huck e Márcio Garcia, que apoiaram Aécio, agora, envergonhados e decepcionados, demonstram decepção com o senador mineiro; principal articulador do golpe, Aécio Neves hoje está atolado em denúncias, afastado da presidência do PSDB, além de ser acusado de cometer diversos crimes (Brasil 247)

quinta-feira, 25 de maio de 2017

Brasil, a um passo da ditadura.....

O Decreto do governo que determina "o emprego das Forças Armadas para a Garantia da Lei e da Ordem no Distrito Federal no período de 24 a 31 de maio de 2017" afronta o Estado de Direito e torna verossímil o risco de uma escalada ditatorial no país.Temer é um presidente ilegítimo e corrupto. Ele e mais de 70% dos ministros são investigados por crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e associação criminosa – cometidos tanto no atual mandato como antes. Temer não possui, por isso, a menor possibilidade de continuar no cargo para o qual não foi eleito e a partir do qual, juntamente com os partidos que deram o golpe e o apoiam, promove o mais brutal ataque aos direitos do povo brasileiro, à economia nacional e à soberania do país. Temer se recusa a renunciar. A renúncia poderia ser a única anotação de grandeza numa biografia irremediavelmente manchada pela trajetória de conspirador, corrupto e integrante de uma organização criminosa que faz da política um passaporte para a prática do crime. Enquanto reluta em renunciar, ele vê o país se desmanchar na depressão econômica, no caos humanitário, na desordem institucional e no conflito que poderá evoluir para grave violência social. 
No desespero para se manter a qualquer custo na presidência, o irresponsável Temer traz as Forças Armadas para o centro da crise e deixa o Brasil a um passo da ditadura. O pretexto para a escalada ditatorial segue o manjado roteiro que a direita observa para atentar contra a democracia: [1] infiltraram provocadores, vândalos e agentes policiais secretos na manifestação pacífica de mais de 150 mil participantes coordenada pelas centrais sindicais e movimentos sociais; [2] programaram a tolerância a atos de violência ao patrimônio público e à Polícia Militar perpetrados pelos agentes por eles mesmos infiltrados, e [3] invocaram o caos e a desordem por eles mesmos provocada para convocar as Forças Armadas. A continuidade de Michel Temer no Palácio do Planalto se tornou, com o episódio de hoje, uma séria ameaça à já avariada democracia brasileira. (Jeferson Miola)

O outro Brasil: repouso do guerreiro na ilha dos amores

Foto: JGS

BRASIL EM CHAMAS. ATÉ QUANDO A AGONIA?

"A marcha da classe trabalhadora foi o ocaso de Temer. A atuação da polícia foi uma tentativa de quebrar o brilho de uma manifestação justa e muito consequente", afirmou Adilson Araújo, presidente da CTB. Ele também passou mal após a ação dos agentes policiais do Distrito Federal, que investiu contra a marcha convocada pelas centrais sindicais. "Foi surreal", afirmou, mas sem demonstrar surpresa. "A gente não pode esperar muita coisa diferente do que vem acontecendo no Brasil. Assaltaram o governo, implementaram uma agenda liberal ao extremo... O governo ilegítimo, financiado por um consórcio golpista, foi demonstrando com o tempo não ter condição alguma de governabilidade."

Depois da péssima repercussão do decreto em que convocou as Forças Armadas, no que seria mais um crime de responsabilidade de Michel Temer, o chefe das Forças Armadas, general Eduardo da Costa Villas Bôas, lavou as mãos e disse que a polícia do Distrito Federal tem condições de garantir a lei e a ordem; "Acredito que a polícia deva ter ainda a capacidade de preservar a ordem. Ficamos em uma situação de expectativa caso algo fuja ao controle", declarou; abandonado, Temer já cogita revogar o decreto se as manifestações contra suas reformas em Brasília estiverem mais calmas até o fim da noite; o governo do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg, também peitou Temer e diz que ele agiu fora da lei. 

Imagens divulgadas pelo site do jornal O Globo são reveladoras: mostram policiais militares do Distrito Federal sacando armas de fogo e atirando contra manifestantes durante o protesto desta quarta-feira na Esplanada dos Ministérios, que deixou mais de 50 feridos e uma pessoa baleada com arma de fogo; o registro foi do fotógrafo André Coelho

Polícia Militar e Civil mata mais 10 posseiros em Redenção Pará. Foi execução!

Conforme informações preliminares, dez posseiros – sendo 9 homens e 1 mulher – foram assassinados durante uma ação de reintegração de posse de um acampamento situado na Fazenda Santa Lúcia, no município de Pau d'arco, no Sudeste do estado do Pará. A reintegração era realizada pelas Polícias Civil e Militar de Redenção. As dez vítimas foram mortas na manhã desta quarta-feira, 24 de maio, durante o cumprimento de uma ação de reintegração de posse determinada pelo juiz da Vara Agrária de Redenção. Ainda segundo informações iniciais, o magistrado determinou que essa ordem fosse cumprida por policiais militares e civis. O juiz não se atentou para as orientações que constam na Cartilha da Ouvidoria Agrária Nacional e nas diretrizes do Tribunal de Justiça, que determinam que esse tipo de ação seja realizada por Batalhão da Polícia Militar especializado nestas situações. Equipe da Polícia Federal (PF) está se deslocando para a área onde ocorreu o conflito para verificar se há mais pessoas mortas ou feridas. Segundo veículos de comunicação da região, os corpos dos posseiros foram levados, inicialmente, para o necrotério do Hospital Municipal de Redenção, posteriormente devem ser transferidos para o Instituto Médico Legal (IML) do município de Marabá. A Comissão Pastoral da Terra (CPT) divulgou, há pouco mais de um mês, o seu relatório anual, Conflitos no Campo Brasil 2016, em que destacou os 61 assassinatos ocorridos no ano passado, o maior número já registrado desde 2003. E a violência não dá trégua em 2017. Até o momento, já são 26 pessoas assassinadas em conflitos no campo brasileiro – as mortes ocorridas hoje em Redenção ainda não constam nesta relação. E no último dia 19, completou-se um mês da Chacina de Colniza, no Mato Grosso, quando 9 trabalhadores rurais foram brutalmente assassinados por um grupo de homens encapuzados.

sábado, 20 de maio de 2017

O mineirinho Aecim entrou no TSE contra a eleição de Dilma só para....'ENCHER O SACO...'! Mas se pode?????!!!!

Molecagem. Essa foi a explicação do senador afastado Aécio Neves, ex-presidente nacional do PSDB, para a ação movida pelo seu partido no Tribunal Superior Eleitoral, logo depois que ele perdeu a disputa presidencial de 2014; “Lembra depois da eleição? Os filhas da p… sacanearam tanto a gente, vamos entrar com um negócio aí para encher o saco deles também”, disse ele ao empresário Joesley Batista, num dos grampos da Polícia Federal; molecagem de Aécio fez com que a economia brasileira afundasse 10% e com que mais de 7 milhões de brasileiros perdessem seus empregos; golpismo tucano também arruinou a imagem do Brasil, que passou a ser visto como uma gigantesca república bananeira; no próximo dia 6 de junho, o TSE retoma o julgamento da ação aberta por Aécio "só para encher o saco" (Brasil 247)

O guru dos tucano-coxinhas, FHC, agora defende a permanência de Temer-ário. 98% dos brasileiros são a favor da renúncia!

Menos de 48 horas depois de defender a renúncia de Michel Temer, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, um dos avalistas do golpe de 2016, decidiu jogar no lixo o que ainda restava de sua biografia; à Rádio Bandeirantes, ele voltou atrás e passou a defender a permanência de Temer, alegando que os áudios estarrecedores ainda não são decisivos; FHC também disse que Aécio Neves, apontado pelo STF como "risco à ordem pública", terá condições de "provar sua inocência"; não se sabe se o recuo de FHC se deve ao fato de todo o PSDB estar nas delações ou por medo de alguma revelação sobre sua própria participação no golpe de 2016; enquanto 98,5% dos brasileiros querem diretas-já, FHC decidiu ficar com o 1,5% que ainda apoia o golpe.